2.5.11

Bola ao ar na 2ª ronda


Se a primeira ronda foi fabulosa, esta segunda promete ser épica. Nos dois jogos de ontem, os Grizllies continuaram a surpreender e tornaram-se no primeiro 8º classificado que elimina o 1º e depois ganha o primeiro jogo da série seguinte. E a sua pose de veteranos continua a ser impressionante. Enquanto os Thunder acusaram os nervos duma equipa jovem que está nestas andanças pela primeira vez, os Grizzlies, mais uma vez, tiveram uma calma e uma compostura que desafia a lógica (18 TO de OKC, contra apenas 7 de Memphis; 7 TO de Russell Westbrook, contra 0 de Mike Conley!).

Ganham aos Spurs de forma convincente, chegam a Oklahoma com apenas um dia para preparar o jogo e, perante um efusivo e muito barulhento público local, dominam os Thunder e ganham com à-vontade. As equipas que são bem sucedidas nos playoffs são aquelas que têm mais uma velocidade e conseguem subir um nível em relação à temporada regular. Pois os Grizzlies meteram umas duas acima e carregaram no acelerador a fundo! E qual Perkins e Ibaka, Zach Randolph e Marc Gasol foram os reis do garrafão!

No outro duelo, o muito aguardado Heat-Celtics, a turma de South Beach segurou para já a vantagem casa e venceu o sempre importante primeiro jogo no seu pavilhão. Num jogo que foi como toda a série promete ser (físico, com muita luta, provocações, algumas querelas e o seu quê de polémica), os Heat apoiaram-se na sua defesa atlética e num inspirado James Jones (25 pts do banco, a substituir o menor rendimento do terceiro vértice dos Super-Amigos, Bosh). Este rendimento de Jones não vai acontecer muitas vezes, por isso não podemos tirar grandes conclusões para os próximos jogos, mas uma coisa ficou clara para os Celtics: se tentam vencer os Heat no plano atlético (como fizeram neste), perdem. Se querem vencer está série têm de se apoiar no seu jogo mais colectivo e táctico. Têm de ser mais inteligentes que os Heat, porque mais jovens e atléticos nunca vão ser.

Esta noite começam os outros dois duelos (um Lakers-Mavs que vai ser uma prova de fogo para os bi-campeões e um Hawks-Bulls, com a equipa de Atlanta a tentar mostrar que podem rivalizar com os melhores do Este). Até lá, para fechar o resumo da 1ª ronda, fiquem com as suas 10 melhores jogadas:


6 comentários:

  1. Humm... tendo em conta o embate entre Heat-Celtics e as quezilias que houveram durante os 48 minutos será que voltaremos a reedição de encontros ao estilo Bulls-Pistons dos anos 90 ?!?! vais ser uma série muito interessante, tendo em conta este primeiro jogo :D

    Tendo em conta os Grizzlies, fantastico é a unica palavra que me ocorre para os descrever.

    GAME ON!!!! :D

    ResponderEliminar
  2. Nunca esperei um domínio tão grande do Randolph e do Gasol sobre o Ibaka e o Perkins! Nos próximos jogos já não será tão sentido, digo eu. E depois do jogão que o Conley fez ontem, começo a pensar que de facto os 45milhóes estão a ser bem gastos...O Westbrook continua sem me convencer (e diria mesmo que não convence ninguém a jogar assim...), e falhar tantos cestos na penetração revela uma intranquilidade que a equipa não necessita nada, sem falar nos tais turnovers...Durant sozinho é capaz de carregar a equipa, mas a que custo?
    Questão polémica: não acham que os Thunder jogam melhor com o Maynor que com o Westbrook? Podem perder imprevisibilidade, mas o Maynor faz melhor o seu papel de base a distribuir que o Westbrook...Na defesa já é outra questão, mas não foi isso que perguntei :p

    ResponderEliminar
  3. O problema dos Thunder não é se jogam melhor com Westbrook ou Maynor, é a falta duma presença interior ofensiva. Ibaka e Perkins são muito bons na defesa, mas não são jogadores que joguem de costas para o cesto no ataque. Falta um jogador capaz de receber a bola a poste baixo e iniciar o ataque a partir daí.
    O seu ataque é sempre iniciado no exterior, o que lhe retira versatilidade.

    ResponderEliminar
  4. os OKC tem equipa para os memfhis.

    ResponderEliminar
  5. o problema e que o perkins e o sedolosiha tem que marcar mais pontos, um marcou 2 e outro 5 e muito pouco para quem e titular na equipa, quando o robinson regressar da lesao eles serao mais fortes.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com essa análise em relação ao jogo de costas para o cesto, é bastante bem observado! O Collison é possivelmente o melhor poste que eles têm a fazer isso, e isso acho que diz tudo. Uma grande fraqueza deles e uma grande virtude ao mesmo tempo é, na minha opinião, o jogo de Westbrook. É capaz do genial e do miserável. Claro que a maior virtude da equipa é ter Durant, daí eu ser daqueles que acha que o jogo devia passar ainda mais por ele, mas sem ser para constantes jogadas de isolação, como acontece quando a equipa está "à rasca"...Todas as equipas têm pelo menos um par de pontos fracos, e a imprevisibilidade de Westbrook e o jogo de poste ofensivo (como foi bem reparado), são, na minha opinião, as grandes pechas dos Thunder.

    ResponderEliminar