8.5.11

Rondo, o desfibrilador


Quando alguém desloca o cotovelo num jogo, supõe-se que esse jogador está acabado para esse jogo, certo? Bem, se esse jogador veste de verde e branco e chama-se Rajon Rondo não é bem assim.
Se os Celtics pareciam quase mortos e ligados ao ventilador nesta série, Rondo pode ter-lhes dado o choque que precisavam para acordar. O heroísmo de Rondo (que jogou o 4º período praticamente só com o braço direito e ainda conseguiu fazer um roubo de bola com a mão esquerda!) inspirou o público e os restantes Celtics e deu o impulso final para a necessária vitória sobre os Heat.

O base dos Celtics acreditou que "podia mudar o momento do jogo se conseguisse defender e chegar a umas bolas e para isso só preciso de duas pernas."
O seu estado para o próximo jogo é incerto. A lesão parece séria e pode significar paragem (embora depois disto, tudo é possível). Mas o estatuto de herói do jogo 3 (e da recuperação dos Celtics, se esta se concretizar) já ninguém lhe tira.


3 comentários:

  1. E o massacre que os Miami levaram na 2ª parte deve-se em muito à "raiva" com que os Boston jogaram a partir da lesão de Rondo...

    ResponderEliminar
  2. Espectacular! Ao voltar ao jogo depois daquela lesão Rondo mostrou mais uma vez ter uma agressividade e competitividade de campeão. A equipa e os fãs foram surpeendidos pelo coração de Rondo.
    Não vou mentir que em alguns jogos dele ao longo dos anos já me levou à loucura com a instabilidade no lançamento e a terrivel concretização nos lances livres que nem parece de um jogador na NBA. Mas quando é mesmo a contar é fantástico ver um jogador com a intensidade dele em campo, tal como Paul Pierce (e mais recentemente garnett e allen) é o estandarte da alma dos Celtics

    ResponderEliminar
  3. Rondo mesmo som com uma mão consegue jogar mais do que o West com as duas portanto continua a ser essencial aos celtics. mas mesmo com rondo a 100 ou 50 por cento o resultado vai ser o mesmo, heat nas semifinais da conferência este.

    ResponderEliminar