14.10.15

Boletim de Avaliação - Dallas Mavericks


Duas divisões já estão. Vamos à terceira e última da conferência Oeste. Começamos o périplo pela Southwest Division no estado onde tudo é grande e onde o desgosto dos Mavs também o foi:


Boletim de Avaliação - Dallas Mavericks

Saídas: Tyson Chandler, Monta Ellis, Rajon Rondo, Al-Farouq Aminu, Amare Stoudemire, Richard Jefferson
Entradas: Wesley Matthews, Deron Williams, Zaza Pachulia, Samuel Dalembert, JaVale McGee, Jeremy Evans, John Jenkins, Justin Anderson (21ª escolha no draft), Satnam Singh (52ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Deron Williams - Wes Matthews - Chandler Parsons - Dirk Nowitzki - Zaza Pachulia
No banco: Devin Harris - Raymond Felton - JJ Barea - Justin Anderson - Charlie Villanueva - JaVale McGee - Samuel Dalembert
Treinador: Rick Carlisle

Balanço: (vamos lá reabrir a ferida e reavivar memórias dolorosas para os fãs dos Mavs)

No dia 7 de Julho, tudo parecia estar a correr bem para os Mavericks. Tinham um dos melhores free agents disponíveis, um jogador que cumpria o duplo objectivo de os tornar competitivos no presente (para aproveitar os últimos anos de Dirk Nowitzki) e ser uma peça para a reconstrução pós-Dirk, e preparavam-se para dar um grande passo na construção duma equipa candidata ao título.

Mas depois veio o 8 de Julho e a infame Noite dos Emojis. E tudo foi por água abaixo. DeAndre Jordan voltou atrás e ficou nos Clippers. E a offseason dos Mavs estava irremediavelmente condenada. 

Tinham deixado sair Tyson Chandler, e era tarde demais para procurarem um plano B, pois os principais free agents já estavam tomados. Recorreram a um improvisado plano C e contrataram os postes que conseguiram, na esperança que a junção de Pachulia/o que resta de Dalembert/sabe-se lá o que esperar de McGee dê um poste decente por comité.

Como se isso não bastasse, Mark Cuban não só manteve o acordo que tinha com Wesley Matthews, como ainda lhe ofereceu um contrato melhor. E 70 milhões por 4 anos por Matthews? Ele é bom, mas não tanto. Ainda para mais depois da lesão grave da qual está a recuperar? Se os 57 milhões da oferta original já deixavam dúvidas, estes 70 não deixam dúvidas que é um mau negócio para os Mavs.
Com DeAndre, a contratação de Wes Matthews fazia sentido, porque tornava a equipa competitiva no imediato e era uma aposta no curto prazo. Sem DeAndre e como peça para o futuro, nem tanto.

Contrataram ainda Deron Williams, num contrato amigável e aceitável (2 anos/10 milhões). O problema aqui não é o dinheiro, pois D-Will por 5 milhões por ano (mesmo longe do base All Star que era) não é mau. O problema é que D-Will nem é uma peça para o futuro, nem os vai tornar bons no presente. A sua contratação é o resumo da offseason: só para compor a equipa e tentar dignificar uma das últimas épocas de Dirk.

Que é aquilo a que estão condenados esta época. Vão dar um trambolhão na classificação e deram um passo atrás na construção/reconstrução da equipa. Com a subida do tecto salarial e a facilidade de Cuban em gastar dinheiro, a reconstrução pode ser mais rápida do que em circunstâncias normais, mas mesmo assim vão precisar de se recompor, rever o plano e voltar a mexer no próximo ano.

(esta nota é complicada, porque a culpa do plano A ter ido por água abaixo não foi deles. Se DeAndre não tivesse voltado atrás, a offseason tinha sido um sucesso e valia um 14; mas, independentemente da responsabilidade, o facto é que a offseason foi um flop. E algumas das decisões pós-DeAndre também não foram as mais racionais. Por isso, não tanto pelo plano, mas pelo resultado, temos de lhes dar um...)

Nota: 8


(a seguir: Houston Rockets)

2 comentários:

  1. A verdade é ficaram com um 5 em que todos foram ao playoff o ano passado, o banco é fraquinho, o treinador é bom, vão andar na luta, mas é o tal limbo que não interessa a ninguém. O Dirk cada vez corre e defende menos. O Deron ainda fez umas coisinhas contra Atlanta se conseguisse fazer isso em metade dos jogos já era positivo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aparentemente, já está quase tudo bom para jogar, quem diria pensei que só estivessem lá para Janeiro.

      Eliminar