31.10.15

Boletim de Avaliação - Toronto Raptors


Já avaliámos os Celtics, os Nets, os Knicks e os Sixers. Vamos lá atravessar a fronteira e ir até ao Canadá para terminar a Atlantic Division:


Boletim de Avaliação - Toronto Raptors

Saídas: Amir Johnson, Lou Williams, Greivis Vasquez, Tyler Hansbrough, Landry Fields, Chuck Hayes
Entradas: DeMarre Carroll, Cory Joseph, Bismack Biyombo, Luis Scola, Anthony Bennett, Delon Wright (20ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Kyle Lowry - DeMar DeRozan - DeMarre Carroll - Luis Scola - Jonas Valanciunas
No banco: Cory Joseph - Terrence Ross - James Johnson - Anthony Bennett - Patrick Patterson - Bismack Biyombo
Treinador: Dwane Casey

Balanço: Tinham vários jogadores que terminavam contrato no final da temporada e deixaram-nos sair todos. Amir Johnson, Lou Williams, Chuck Hayes, Tyler Hansbrough e Landry Fields foram todos para outras paragens (ou para nenhumas paragens, no caso de Hayes e Fields).

Fields, Hayes e Hansbrough, entende-se que não tivessem interesse em manter. Mas perder o power forward titular e o Melhor Sexto Homem de 2014-15 já não. Ou melhor, entende-se porquê (os Raptors têm DeMar DeRozan e Terrence Ross a terminar contrato, vão precisar de os renovar e não queriam comprometer muito dinheiro com Williams e Johnson; para além de terem investido noutro jogador), mas são duas perdas significativas.

Preferiram investir o dinheiro no reforço da posição de small forward e contrataram DeMarre Carroll por 4 anos e 60 milhões. Carroll é um jogador aguerrido e esforçado, que vai melhorar a defesa dos Raptors (que precisavam de melhorar) e também contribuir no ataque, mas está para ser visto se consegue reproduzir o sucesso que teve nos Hawks e se 15 milhões por ano não foi demais (com a subida do tecto salarial, 15 milhões não vão ter o mesmo peso que agora, mas mesmo assim, é um jogador mediano e que nem sequer é All Star).

Mas se melhoraram na posição de small forward, pioraram na de power forward. Contrataram Luis Scola e Bismack Biyombo, mas nem um nem outro são melhores que Johnson (nem os dois combinados). O argentino assinou por um ano e o congolês por dois, e são ambos soluções temporárias. Vamos ver o que Masai Ujiri faz no futuro, mas para já ficaram mais fracos nessa posição.

Trocaram também de bases suplentes (enviaram Vasquez para os Bucks no dia do draft e contrataram depois Cory Joseph na free agency, por 4 anos e 30 milhões) e ficam mais ou menos na mesma (um pouco melhor, se contarmos com o potencial e a possibilidade de progressão de Joseph, que tem apenas 24 anos; actualmente não é melhor jogador que Vasquez, mas poderá vir a ser).

E isso é também como fica a equipa depois desta offseason: mais ou menos na mesma.

Nota: 10


(a seguir: Central Division)

4 comentários:

  1. Só 10? Ficaram bem melhores que o ano passado. O Derozan e o Louro estão a beneficiar muito de ter um dos melhores defensores ao seu lado.

    ResponderEliminar
  2. Qual é a nota máxima, nessas avaliações??

    ResponderEliminar