28.10.15

Boletim de Avaliação - New York Knicks


A temporada regular já começou, mas ainda temos uns quantos Boletins para fazer. No próximo ano vamos ter de os começar mais cedo, mas para já vamos ter de fazer os que faltam pela temporada adentro.
Prosseguindo, portanto, com a Avaliação da Atlantic Division, continuamos pela Big Apple para ver se o Verão dos Knicks foi melhor do que o dos Nets:


Boletim de Avaliação - New York Knicks

Saídas: Andrea Bargnani, Tim Hardaway Jr., Quincy Acy, Cole Aldrich, Shane Larkin, Jason Smith, Alexey Shved
Entradas: Arron Afflalo, Robin Lopez, Kyle O'Quinn, Derrick Williams, Kevin Seraphin, Sasha Vujacic, Kristaps Porzingis (4ª escolha no draft), Jerian Grant (19ª escolha no draft)
Cinco Inicial: Jose Calderon - Arron Afflalo - Carmelo Anthony - Kristaps Porzingis - Robin Lopez
No banco: Jerian Grant - Langston Galloway - Sasha Vujacic - Cleanthony Early - Derrick Williams - Kyle O'Quinn - Lou Amundson - Kevin Seraphin
Treinador: Derek Fisher

Balanço: Os Knicks estão a tentar aquele sempre difícil e complicado número de equilibrismo entre construir uma equipa com futuro e ser competitivos no imediato. E, por isso, a sua offseason foi algo esquizofrénica.

Por um lado, e porque a Carmelo Anthony já não restam muitos bons anos (já tem 31 anos e um joelho que tem dado problemas), os Knicks não se podem dar ao luxo de construir uma equipa a longo prazo. Têm de tentar ganhar já (ou o mais rápido possível).

E foi o que tentaram na free agency: contratar jogadores consagrados. Mas os nomes maiores que conseguiram foi Robin Lopez e Arron Afflalo. O que não os vai colocar propriamente no topo da conferência.

A Afflalo e Lopez juntaram também Kyle O'Quinn e Derrick Williams. O que é jeitoso (Williams tem sido uma desilusão em todas as paragens que fez, mas ainda é novo e pelo preço e duração do contrato vale a pena a aposta; e O'Quinn mostrou potencial em Orlando), mas também não os vai propriamente colocar na luta pelo título.

Depois, por outro lado, no draft optaram pelo futuro e por um jogador que é um projecto a longo prazo. Kristaps Porzingis está longe de ser uma aposta segura e é o jogador com mais potencial de "boom or bust". Pelo seu físico e pelo seu tipo de jogo, com ele não parece haver meio termo. Ou sai um Nowitzki ou sai um flop. Se correr mal, pode correr muito mal. Mas se correr bem, pode correr muito bem e terem aqui uma estrela. Mas não é o jogador mais preparado para contribuir e fazer já a diferença.

Trocaram Tim Hardaway Jr. por outro projecto, Jerian Grant; contrataram Kevin Seraphin para o banco; e foram buscar Sasha Vujacic para jogar FIFA com o Porzingis.

Se o objectivo fosse regressar à respeitabilidade e tentar entrar na luta pelos playoffs, então a offseason não tinha corrido nada mal. Mas o objectivo dos Knicks é maior. E desse ficaram longe.

Melhoraram? Sim. Serão melhores que no ano passado? Seguramente. Será suficiente para aspirar a alguma coisa? Claro que não. Tal como os Lakers, os Knicks estão reféns das circunstâncias e da sua maior estrela e poderão ter mais algum sucesso do que a equipa de Los Angeles nesse difícil equilíbrio entre presente e futuro, mas não muito mais.

Nota: 10


(a seguir: Philadelphia 76ers)

1 comentário:

  1. Os Knicks são a equipa que apoio, portanto admito, talvez, um pouco de parcialidade, mas não acho que estejam tão mal como a generalidade das pessoas aponta. É certo que estamos longe de lutar por alguma coisa de relevante, mas este ano aponto às 38 vitórias, mais coisa menos coisa. Adorei a contratação do O'Quinn, de quem já era fã em Orlando, deposito algumas esperanças nele. As suas médias a 36min são assombrosas. Ontem ao intervalo, por exemplo, já tinha 9 ressaltos, 5 deles ofensivos. Acho muito bom jogador, e ao preço que foi, é quase um achado.

    Depois Derrick Williams. Acho que este pode ser o ano dele. Com esta transformação da Liga, jogadores como ele podem finalmente encontrar o seu espaço. Se antes estava naquele limbo entre a posição 3 e 4 e não era bom em nenhuma, nesta era mais baixa e veloz, facilmente se pode assumir como um 4. A vir do banco, pode acrescentar coisas boas.

    Robin Lopez é outro reforço que me agrada imenso. É na linha do Chandler - se bem que este não resultou - mas traz competitividade, luta e defesa à equipa. E acima de tudo, ética de trabalho com mentalidade vencedora, o que é preciso. Já Affalo, é um jogador que aprecio, mas talvez seja curto para starter, para quando a equipa aspirar a outros vôos. Será um bom role player, mas o contrato de 1 ano deixa-me na dúvida.

    A posição que me deixa mais apreensivo é a de base. Se por um lado acredito bastante no potencial de Grant (pode ser um bom base titular daqui a uns anos), Calderon já não me convence minimamente, especialmente a nível defensivo. Ainda assim, felizmente não caímos no erro de atacar o Rondo, como supostamente o Jackson queria.

    Estou bastante entusiasmado com o futuro da equipa, e expectante para ver como corre esta época. Sabendo que se correr bem, o mercado pode ser atacado de uma maneira diferente.

    ResponderEliminar