28.4.13

O presente em Oklahoma City


Com os Thunder ainda a recuperar do choque, Russell Westbrook foi ontem operado ao joelho e, como já se sabia, não joga mais esta temporada. E com isso, os playoffs da NBA levaram uma reviravolta de todo o tamanho. Não só as conferências de imprensa dos Thunder vão ficar muito mais enfadonhas e não vamos ter mais imagens destas...




... como o reencontro de Miami e Oklahoma City (nas Finais mais esperadas) fica mais longe de acontecer. Porque por muitas saudades que possamos vir a ter deste colorido nas conferências de imprensa dos Thunder, eles vão ter ainda mais saudades do jogo do seu base.

Westbrook pode muitas vezes ser criticado pelo seu exagero em jogadas de 1x1 e por não beneficiar a movimentação da bola no ataque dos Thunder, mas ninguém pode acreditar que esse ataque vai ser melhor sem ele.

Westbrook tem uma percentagem de utilização de posses de bola (usage rate) de 32.8% (primeiro na equipa, à frente dos 29.8% de Durant), o que quer dizer que um terço dos ataques da equipa terminavam com Westbrook a lançar, a perder a bola ou ir para a linha de lance livre. Sim, o facto dele lançar mais e usar mais posses de bola que Durant é uma das críticas recorrentes e algumas dessas posses de bola serão agora para Durant, mas vão sentir a falta de Westbrook em muitas delas. 

Ele podia exagerar em algumas ocasiões e levar o seu estilo de jogo longe demais, mas a verdade é que os Thunder precisavam que ele jogasse assim. Pois, para além de Durant, não têm mais ninguém tão explosivo e desequilibrador no 1x1. Westbrook marca 29.5% dos pontos da equipa (KD marca 32.9%) e embora Durant possa compensar alguns desses pontos, vão ter dificuldades em encontrar alguém para compensar os restantes.

Como já referimos aqui anteriormente, os jogadores interiores (Ibaka, Perkins, Collison) não são jogadores capazes de jogar 1x1 e ser uma ameaça ofensiva a poste baixo. Não são jogadores capazes de criar o seu próprio lançamento e a maioria dos seus pontos resultam de assistências e ressaltos ofensivos. Mesmo Kevin Martin (o terceiro melhor marcador da equipa) é mais um atirador que um criador. E para isso precisam de Westbrook. 

Durant e Westbrook eram os únicos jogadores do cinco inicial capazes de criar o seu próprio lançamento. Agora resta KD. E quanto mais tempo jogarem sem Westbrook, mais dificil se tornará. Porque quanto mais recorrerem às mesmas soluções em séries em que as equipas se enfrentam dia sim dia não, reconhecem o que a equipa adversária quer fazer e se adaptam de jogo para jogo, mais previsível se tornará. Já para não falar também do cansaço extra para Durant (ontem jogou 47:16 e esteve no banco apenas 44 segundos em todo o jogo!). O fardo nos seus ombros vai ser maior e isso pode custar caro mais à frente.


Para além deste papel de catalizador no ataque, também vão sentir a falta de Westbrook do outro lado lado do campo. Não só de forma directa (pela sua defesa), mas também de forma indirecta, pela pressão que ele coloca nos bases adversários no ataque e aquilo que os obriga a trabalhar na defesa. Sem terem de correr atrás de Westbrook na defesa, Chris Paul, Tony Parker, Mike Conley ou Ty Lawson ficam mais frescos e com energia extra para o ataque.

A falta de Russell Westbrook será bastante sentida nos Thunder e a luta a Oeste fica mais em aberto que nunca. E em Oklahoma City podem ter de pensar no futuro (isto é, na próxima temporada) mais cedo do que pensavam.

7 comentários:

  1. Digamos que na conferência a caça ao título ficou bem mais em aberto. Em contrapartida, o título de campeão da NBA fica fechado. Por outras palavras, não vejo quem possa enfrentar os Heat nas finais, a não ser que estes também sejam brindados com alguma lesão inesperada em alguma das suas 3 estrelas, se bem que se isso acontecesse (e ninguém deseja ver jogadores lesionados, muito menos os que mais enriquecem o espectáculo), os Heat têm um banco bem mais profundo que os OKC.
    Nesta questão das lesões em jogadores muito importantes para as respectivas equipas, esta época tem sido para esquecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acredito nas hipóteses dos Grizzlies contra os Heat, difícil vai ser chegarem lá (ás finais), e mesmo os Spurs têm algumas chances já aos Clips e Thunder...não os vejo a dar muita luta aos Heat.

      Eliminar
  2. É uma baixa muito importante para os OKC, Westbrook nos Thunder é o único que cria jogadas para os seus companheiros, por isso penso que Fisher terá que assumir mais preponderante.
    E quando é que vão entregar o prémio de MVP? Já entregaram todos e parece que se esqueceram do MVP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acho q faz sentido o MVP ser o último, sendo o prémio mais importante. desta semana n deve passar...

      Eliminar
  3. Pessoal, eu acho que se esquecem dos Spurs.. Não acham que eles estão ao mesmo nivel dos Miami na luta pelo título?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. N acho q estejam ao mesmo nível q os Heat mas nunca se sabe. Digo isto pq comparo com os Spurs do ano passado. Os deste ano n me parecem mto melhores e o ano passado perderam na final da conferência. Já os Heat evoluíram em relação ao ano passado. Mas os Heat n apanharam os Spurs a época passada e ao q parece (pela lesão de Westbrook) é mais provável q apanhem este ano, portanto smp pode haver 1 desfecho diferente (ainda assim acho q os Heat são os favoritos).. Bem, a série Nuggets - GSW está a ser a surpresa.. Stephen Curry esteve ontem em grande nível.

      Eliminar
    2. Ao mesmo nivel nao estão certamente, mas secalhar depois da lesao do Westbrook passam a ser os candidatos a ganhar o Oeste. Mas nao finais teriam de lutar muito para sequer equilibrar a serie, nao me parece que consigam ganhar a Miami em 7 jogos.

      Eliminar