16.6.12

Lição nº 1


A caminhada até ao topo da NBA não é uma corrida de 100 metros. É uma maratona. E não é uma maratona com um caminho plano e suave. É cheia de obstáculos. É uma maratona com barreiras. E todas as equipas que já  chegaram à meta e levantaram o troféu Larry O'Brien tiveram de as ultrapassar. Até aqui, os miúdos de OKC tinham passado com distinção todas as que lhes apareceram pela frente. De forma surpreendentemente madura, deixaram todas as barreiras para trás e parecia que já tinham corrido esta maratona muitas vezes.

Mas, na quinta feira à noite, pela primeira vez nestes playoffs, os miúdos de OKC pareceram humanos. Pela primeira vez, os miúdos de OKC foram isso mesmo: miúdos que estão pela primeira vez nas Finais e que podem fraquejar em momentos decisivos.

E aprenderam a sua primeira lição: que, num jogo das Finais, todos os momentos são decisivos. Que os primeiros minutos são tão importantes como os últimos. Para ganhar, não basta acelerar na segunda parte ou tomar conta do jogo no último período. Não basta jogar bem durante 24 minutos. Nem sequer 36 ou 42. Têm de jogar bem durante 48 minutos.


Neste segundo jogo, deram os primeiros minutos de borla aos Heat. Os Thunder (e Westbrook, principalmente) entraram precipitados no ataque e pouco intensos na defesa. Não movimentaram (ou movimentaram mal) a bola, insistiram demais em situações de 1x1 e falharam 11 dos primeiros 12 lançamentos. E na defesa não conseguiram parar ninguém.
A equipa de Miami entrou muito mais focada e muito mais agressiva. Correram e contra-atacaram e, no ataque em meio-campo, atacaram o cesto e penetraram. Wade e LeBron foram os agressores de serviço e voltaram a ter a ajuda dos wilds cards Shane Battier e Mario Chalmers. Os dois primeiros penetraram, abriram caminhos na defesa dos Thunder e voltaram a arranjar espaço para os lançamentos destes dois últimos.

Ao fim de 6 minutos de jogo, os Thunder tinham cavado um buraco de 16 pontos (18-2). No desconto de tempo, Scott Brooks não poupou os seus jogadores. "Estamos a jogar horrivelmente! Não há outra forma de o dizer! Horrivelmente! A única coisa positiva é que ainda faltam 42 minutos."

E nesses 42 minutos seguintes os Thunder ganharam por 12. Depois do 2-18 inicial, o parcial do resto do jogo foi 94-82 para OKC. E podíamos falar sobre muitas coisas desses 42 minutos. Podíamos falar da entrada de James Harden e dos 14 pontos que marcou antes do intervalo ou da enorme melhoria na defesa de OKC, podíamos destacar mais um excelente jogo de Battier (que, desta vez, também apareceu na segunda parte), podíamos elogiar o grande trabalho de Bosh nas tabelas (15 ressaltos, 7 deles ofensivos!), podíamos analisar o bom jogo de Wade e LeBron (sempre em modo de ataque ao cesto, como os Heat precisam), podíamos referir como Westbrook e Durant melhoraram bastante depois do começo desastrado e fizeram uma boa exibição no resto do jogo.

Podíamos dizer muitas coisas sobre os 42 minutos finais. A verdade é que foi um bom jogo nesses minutos restantes, em ambas as equipas tivemos jogadores a fazer boas exibições e havia muito para analisar. Os Thunder quase que recuperavam e chegaram mesmo a ter posse de bola para empatar. Mas é irrelevante. O jogo ficou decidido nos primeiros minutos. A história do jogo foi escrita nesses momentos decisivos. 

No final, o buraco que os Thunder cavaram revelou-se grande demais para conseguirem sair dele. E pela primeira vez nestes playoffs, os miúdos de OKC perderam em casa. Pela primeira vez nestes playoffs, tropeçaram numa barreira. Vamos ver se aprenderam a lição.

10 comentários:

  1. Stoudemire16/06/12, 15:24

    É a grande ideia instalada que os últimos minutos são mais importantes que qualquer outros. Que continuem a dar os primeiros minutos "que não interessam", é o que eu desejo.
    Fazem-me rir.

    ResponderEliminar
  2. É sempre um prazer ler as tuas crónicas.

    Para pessoas que, como eu, gostam do jogo mas não entendem todas as suas subtilezas nem detalhes, as tuas análises ponderadas e exaustivas fazem sempre que olhemos para os jogos seguintes de outra forma.

    Bom trabalho e continua com este grande blog!

    ResponderEliminar
  3. Nao concoredo muito com a ideia de que "... O jogo ficou decidido nos primeiros minutos ... " ! O jogo ficou muito complicado apartir dessa entrada em falso dos Thunder ( isto para ser suave ) , mas jamais decidido . Os Heat continuaram a ter de jogar bem e os Thunder a terem de correr atras do resultado . E a maior prova disso foi o facto de "... chegaram mesmo a ter posse de bola para empatar ... " . Como dizaes ate parece que os outros 42 minutos foram apenas de gestao e isso e' uma ideia muito errada . LBJ teve que fechar o jogo nos ultimos minutos com um grande cesto e dois lances livres !
    Esta tua analise e' demasiado facil ! Imaginemos que eles tinham empatado naquela posse de bola ?! Estariamos hoje possivelmente a lamentar os outros 42 minutos de Miami .
    1-1 parece-me bem , uma licao para os primeiros minutos de OKC e (mais) um aviso para os ultimos minutos de Miami !

    ResponderEliminar
  4. Costumo estar de acordo com tudo o que escreves mas desta vez não concordo com duas coisas no artigo. 1º, esta não foi o "primeiro obstáculo que não conseguiram ultrapassar". Que eu me lembre, eles estiveram a perder 2-0 com os Spurs e no 3ºjogo estiveram muito tempo a perder também e toda a gente os dava como arredados. Nesse sentido, acho que dizer que este jogo foi a primeira vez que a coisa tremeu não é nada verdade...

    E também não concordo que o jogo foi decidido no inicio (tinham posse de bola para ganhar na última jogada, como é possível dizer isto? : O). Concordo com o dito em cima, dificultou mas o jogo não ficou decidido e prova disso é que tinham a jogada final para empatar/ganhar.


    Seja como for, a minha aposta é que isto vem de Miami com 3-2 para os Heat, depois é ver se os Thunder conseguem fechar em casa :)

    E dizer que estou a gostar bastante das finais, +jogo e -quezílias. As equipas estão a ser lutadoras mas ao mesmo tempo a respeitarem-se, e os exemplos têm sido os seus lideres, James e Durant. Comportamento assinalável a meu ver.

    ResponderEliminar
  5. Só mais um à parte.

    Até porque se pensarmos bem depois do jogo podemos sempre apontar um/dois momento importantes. "Foi aquele run de 11-0 que decidiu", "Foi aquele triplo a 2min do final que cavou o buraco impossível de alcançar", "Foi aquele 3º período fantástico", ou neste caso "Foi o 18-2 inicial". Mas dizer que o jogo ficou decidido, neste caso é como estar a comentar aquele jogo em TV e quando o Durant recebe a bola a uns 15seg e pode empatar/ganhar como comentador dizermos "Não vale a pena tentar, o jogo ficou decidido nos primeiros minutos, ele irá falhar."

    Isto foi só para argumentar melhor a minha opinião (:

    ResponderEliminar
  6. não concordo nada, nenhum jogo fica decidido nos primeros 6m de jogo independentemente da modalidade e principalmente no basquetebol, mas quem é seguidor do teu blog já sabia que estavas a espera que os OKC, perdessem um jogo para puderes cascar neles,ja estava evidentente em outros articulos.
    OKC 4-2 miami

    ResponderEliminar
  7. Eu gostava que a eliminatória não saísse de Miami, acredito que os Miami conseguem ganhar os 3 jogos em casa e serem campeões.
    Let`s GO HEAT!

    ResponderEliminar
  8. pro.benfica17/06/12, 02:24

    Quem não parece ter aprendido nada foi o Westbrook. A forma como reagiu ás críticas ao seu início do jogo 2 são de um tipo egocêntrico e idiota.

    ResponderEliminar
  9. Em relação ao jogo ficar decidido nos primeiros minutos, se calhar expressei-me mal.
    É claro que um jogo não fica decidido no início e a prova disso é que quase conseguiam recuperar.
    Mas, como disse o Diogo M, a minha análise é posterior ao jogo e estava apenas a apontar, com o benefício da visão pós-jogo, o momento decisivo do jogo. O que eu queria dizer é que, feitas as contas e olhando para trás, foram os minutos iniciais que decidiram o jogo. Se não fosse aquele começo desastrado, provavelmente os Thunder teriam ganho o jogo. Por isso, o jogo não ficou decidido, mas foram esses minutos que acabaram por decidir e fazer a diferença no jogo.

    Era isso. :)

    ResponderEliminar
  10. Gostei do artigo e concordo. Percebi perfeitamente o que querias dizer, e penso que para OKC, esta derrota, pode até ser bastante positiva. Estavam numA "run" impressionante desde os Spurs, derrotaram as equipas que dominaram a conferência nos últimos dez anos, DALLAS/LA/SANANTONIO, e dá-me ideia que precisavam de acalmar, rever processos e de se unir. Lembro que depois das duas derrotas com SA, melhoraram substancialmente. São miúdos, se por um lado têm menos pressão que os Heat, parece-me que, por vezes, perdem facilmente o rumo, o objectivo. Se acho que os Heat vão fechar em casa, não, isto vai voltar a OKC, e depois, que ganhe o melhor.

    Acho até que se tivessem ganho o jogo 2, não ganhariam a final, assim, continua tudo em aberto.

    ResponderEliminar